Escolha uma Página

A condutividade térmica na madeira

Procurando Madeira então Ligue Agora !! (27) 9 9898-3078 

A madeira é um dos mais bem elaborados materiais de origem orgânica, apresentando um conjunto de características físicas e mecânicas dificilmente encontradas em outros materiais, além de uma inumerável variação de padrões estéticos. Uma das características físicas da madeira é apresentar baixa capacidade para conduzir calor.
Há três mecanismos essenciais de transporte do calor: a radiação, a convecção e a condução. A transmissão de calor por condução é característica do transporte através dos sólidos. Basicamente a madeira é um mau condutor térmico em conseqüência de sua estrutura celular (numerosas pequenas massas de ar aprisionadas) e de sua constituição por membranas celulósicas.

A madeira é um mau condutor térmico. Mesmo sem conhecimento técnico a respeito da condutividade térmica da madeira, esta é uma característica presente no cotidiano das pessoas: aprende-se desde cedo que a madeira age melhor como isolante que condutor de calor.

Esta característica física, de baixa condutividade, deve-se principalmente à constituição e organização do tecido xilemático. As células que compõem a madeira contêm elevada proporção de celulose, que é caracterizada como um mau condutor. Além disso, a estrutura do xilema permite o aprisionamento de inúmeras massas de ar em seu interior, funcionando como um conjunto isolante.

A condutividade térmica para qualquer espécie depende do peso específico e do teor de umidade contido na peça de madeira. Quanto mais alto o peso específico e a umidade maior será a capacidade da madeira em conduzir calor. Madeiras secas a um teor de umidade constante apresentam melhor desempenho como isolante.

Diversas aplicações da madeira estão relacionadas à sua baixa condutividade. Entre elas é possível destacar: a) conforto térmico em habitações e em barcos; b) função isolante protetora: implementos que entrarão em contato com temperaturas adversas, como espetos para churrasco, colher de pau e até mesmo palitos de fósforo.

Além destes usos, muito se busca a madeira quando há a necessidade de uma sensação térmica agradável, principalmente em projetos de arquitetura e design. Assentos e braços de cadeiras, assim como assoalhos confeccionados em madeira causariam uma sensação real de bem estar superior a materiais como metal e cerâmica, respectivamente.

A respeito do posicionamento geográfico em que a madeira será utilizada como elemento estrutural visando conforto bioclimático, o seu uso em regiões frias está associado à retenção de calor no ambiente e em regiões de clima quente, o seu uso visa uma menor absorção de calor para o interior das construções.

No caso das regiões com clima temperado, o uso de madeira como material de construção tem uma implicação ecológica direta na utilização dos recursos naturais renováveis, uma vez que o emprego de um material com maior capacidade isolante pode resultar numa menor demanda por recursos energéticos (lenha, carvão, gás, etc.).

Construção de habitações

O Brasil possui uma forte tradição construtiva em alvenaria de tijolos. Este sistema construtivo foi trazido pelos portugueses na época da colonização, utilizando a mão-de-obra escrava para carregar pedras, fabricar tijolos e telhas. O uso da madeira na construção de habitações se deu fundamentalmente na região Sul e Sudeste, onde a matéria prima, a Araucária (Araucaria angustifolia, Araucariaceae) era abundante.

Na região Norte, a tradição indígena das palafitas, a baixa concentração de renda e a abundante disponibilidade de recursos florestais também fez florescer o hábito de se construir habitações em madeira. O preconceito em relação à madeira está fundamentado no uso inadequado, problemas de secagem, tratamento, projeto, especificações e outros, aliado ao meio ambiente tropical que acelera a sua deterioração.

Infelizmente, em países em desenvolvimento ainda há a tendência cultural de creditar à madeira um status de produto inferior e temporário quando é empregada na construção de casas. É comum associar pobreza à casas de madeira e bem estar e alto padrão de vida a construções de alvenaria.

A propagação do calor na madeira é maior no sentido paralelo às fibras e menor no sentido perpendicular. Este é um fator adicional e favorável à confecção de revestimentos de madeira em construções visando melhorar o conforto térmico, uma vez que o calor ou frio tenderá a se propagar para o interior ou para fora do ambiente atravessando a madeira. Havendo uma resistência natural das fibras, haverá consequentemente um incremento de sua capacidade isolante.

Apesar de a madeira constituir-se de um isolante térmico de boa qualidade, é necessário ter um especial cuidado com a orientação da casa em relação ao sol, a ventilação a vedação das portas e janelas, e principalmente o isolamento térmico das coberturas. Se estas medidas não forem observadas corre-se o risco de se criar verdadeiras estufas ou congeladores.

O uso em habitações é uma das principais aplicações do conhecimento existente sobre a capacidade isolante da madeira. Apesar da importância que representa na construção civil, a condutividade térmica da madeira é assunto abordado de modo bastante sintético nas publicações especializadas. Além disso, há poucos exemplos claros utilizando normas brasileiras e/ou espécies nativas. Como está relacionada muito à construção de habitações, há mais conteúdo disponível em livros que tratam de resistência de materiais, ainda assim de maneira superficial.

Teca é nova opção na indústria mundial

A Teca vem se tornando muito usual na indústria moveleira e de decoração, tanto para cozinhas e salas de estar como para ambientes especiais como uma adega ou um espaço para descanso e leitura, ou mesmo um jardim. A espécie veio do oriente, e hoje é cultivada em vários países, inclusive no Brasil. A multiplicidade de usos e a beleza tornam esta madeira uma excelente escolha.

Teca é o nome popular da Tectona grandis, árvore nativa na Ásia cuja madeira é utilizada há séculos na Índia, Indonésia, Tailândia e outros países asiáticos. Atualmente a árvore é cultivada também no Brasil, principalmente no Mato Grosso e o plantio comercial avança para os estados da região Norte.

A madeira é nobre e foi muito utilizada pelos antigos povos colonizadores do oriente, para confecção de embarcações, devido a sua alta resistência as intempéries. Porque pode ser exposta a ação do sol e da chuva e apresenta excelente durabilidade nessa situação, a madeira passou a ser utilizada na execução de móveis externos, para varandas e jardins. É uma das espécies tropicais mais cultivadas em reflorestamentos comerciais em diversos países no mundo, atualmente.

A madeira tem um aspecto muito bonito, em tom marrom-dourado, que pode escurecer quando exposto ao ar livre, passando a um marrom um pouco mais escuro. De veios homogêneos, pode ser usada tanto para mobiliário de luxo em interiores, quanto para obras imersas ou expostas à água, devido a sua alta resistência a esse tipo de exposição. Possui uma espécie de látex em seu interior, que é capaz de evitar a corrosão nos pregos e ferragens utilizados em seu interior. Esse recurso ainda permite maior durabilidade de móveis e elaborados em teca.

Além da durabilidade e estabilidade, a madeira também apresenta alta resistência ao ataque de cupins, brocas marinhas e outros insetos. Talvez, por isso mesmo os antigos já a utilizavam em construções de embarcações.

Fácil de trabalhar, praticamente não racha e não trinca, a madeira é moderadamente pesada, com densidade de 0,65gr/cm³, recomendada para mobiliário em geral. Sua resistência fica mais por conta de sua durabilidade e exposição ao sol e chuva, do que propriamente resistência estrutural. Dessa forma, sua utilização concentra-se mais para mobiliário e alguns pisos e decks de médio tráfego.

A árvore só pode ser cultivada em áreas tropicais mas possui grande demanda principalmente no continente europeu, superando os preços do mogno
No exterior, a madeira Teca é usada principalmente na fabricação de esquadrias, devido a sua forte resistência à exposição ao tempo. Também é consumida na produção de móveis, embarcações e decorações.

Planta rústica, de rápido crescimento e muito resistente ao fogo, a pragas e a doenças, a árvore tem forte potencial exportador, sobretudo nos países europeus. A tora de desbaste, com diâmetros entre 15 e 20 centímetros, pode ser comercializada no exterior a preços que variam de US$ 700 e US$ 1.200 ao m³. A Teca destaca-se frente a outras espécies nativas pela rusticidade e rápido crescimento em altura.

Na lista das espécies requisitadas pelo mercado internacional, a teca é nativa das florestas tropicais do Sudeste Asiático. É árvore de grande porte, podendo alcançar 2,50 metros de diâmetro e 50 metros de altura. Seu tronco é habitualmente retilíneo, de seção circular e reduzida conicidade. A casca é gretada e de cor cinza ou marron, mede cerca de 15 mm e é considerada termo-isolante, com resistência ao fogo.

As folhas, de inserção oposta, podem alcançar 60×80 cm e as flores de cor creme, são pequenas, numerosas e encontram-se reunidas em inflorescências do tipo panícula (forma piramidal). A floração é intensa e inicia cerca de um mês após as primeiras chuvas, estendendo-se por mais de 60 dias. O fruto é uma drupa, mede de 1 a 2 cm de diâmetro e pode conter até quatro sementes.

A Teca é uma espécie que ocupa com velocidade as clareiras abertas na floresta, é também uma planta heliófita (exige plena exposição à luz solar), não tolerando qualquer forma de sombreamento. Seu crescimento inicial em altura é muito rápido, chegando aos três metros no primeiro ano e aos cinco metros, ou mais, no segundo, o que torna a espécie muito viável comercialmente

Qualidade

A madeira da Teca é procurada no mercado internacional, por suas características, como o peso de cerca de 650 quilos por metro cúbico, situando-se entre o cedro e o mogno. Possui boa resistência em relação ao peso, quanto à tração, flexão e outros esforços mecânicos é semelhante ao mogno brasileiro. Para a produção de móveis, especialmente cadeiras, que necessitam de constante deslocamento, a espécie apresenta resistência e ao mesmo tempo leveza.

É uma madeira estável, praticamente não empena e pouco se contrai durante a secagem, além de resistir às variações na umidade do ambiente. Trata-se de uma propriedade essencial no caso de portas, janelas e gavetas, permitindo que abram, fechem e corram sem dificuldades.

A teca é durável, pois seu cerne não é atacado por cupins, carunchos ou outros insetos. É imune à ação dos fungos apodrecedores de madeira, podendo ser enterrada, exposta ao tempo ou à água do mar, sem sofrer danos. A durabilidade do cerne deve-se a “tectoquinona”, um preservativo natural contido nas células da madeira. Na Europa é bastante comum o uso de bancos e outros móveis de jardim produzidos em teca, expostos ao tempo, sem a proteção de óleo, tinta ou verniz. Neste caso, a madeira adquire coloração acinzentada com o tempo.

A Tectona grandis é uma árvore de grande porte, nativa das florestas tropicais situadas entre 10° e 25°N no subcontinente índico e no sudeste asiático, principalmente na Índia, Burma, Tailândia, Laos, Camboja, Vietnã e Java. Devido a sua dispersão geográfica e à variedade de ambientes onde ocorre naturalmente, a teca é uma espécie de alta adaptabilidade com dispersão vertical entre 0 e 1300m acima do nível do mar, ocorrendo em áreas com precipitação anual de 800 a 2500 mm, e temperaturas extremas de 2°a 42°C, porém não resiste à geada.

A teca é cultivada desde o século XVIII, quando os britânicos demandavam grandes quantidades de madeira para construção naval. No sul da Ásia, a cultura de teca é tradicional, sendo a espécie cultivada em grande escala. Atualmente, a área mundial plantada excede os 3 milhões de hectares, incluindo, além dos asiáticos – maiores produtores -, outros países tropicais, como: Togo, Camarões, Zaire, Nigéria, Trinidad, Honduras e Brasil, entre outros.

Apesar de poder ser cultivada apenas em regiões tropicais, a madeira de teca é muito procurada principalmente no continente europeu. Mundialmente, a teca é apreciada pela qualidade de sua madeira, bem como pela sua rusticidade.

A Tectona grandis L.f. pertence à família botânica Verbenaceae. As folhas, que podem ter disposição oposta a verticilar em grupos de três, são coriáceas e medem de 30 a 60cm de comprimento por 20 a 35cm de largura. Os limbos são largos e elípticos, glabros na face superior e tomentosos na face inferior. As folhas amplas tornam a árvore sombreante desde a fase juvenil.

As flores são pequenas, de coloração branco-amarelada e se dispõem em panículas de até 40 x 35cm. Os frutos são do tipo drupa, cilíndricos, de cor marrom e possuem diâmetro de aproximadamente 1cm. Cada fruto apresenta quatro cavidades, dentro das quais estão as sementes (uma por cavidade); porém, nem todas germinam. A primeira frutificação ocorre aos 5 ou 6 anos de idade.

Quando adulta, a árvore atinge entre 25 a 35m (raramente acima de 45m) de altura e diâmetro (DAP) de 100cm ou mais. Seu tronco é reto e revestido por uma casca espessa, resistente ao fogo. Perde as folhas durante a estação seca, pois trata-se de uma essência caducifólia.

A madeira

O alburno é estreito e claro, bem distinto do cerne, cuja cor é marrom viva e brilhante. Essa beleza peculiar faz da teca uma madeira muito procurada para decoração de interiores luxuosos e mobiliário fino. Além do efeito decorativo, a madeira de teca é utilizada para as mais diversas finalidades: construção naval, laminação e compensados, lenha e carvão vegetal; as duas últimas são específicas para as áreas de ocorrência natural.

A densidade média da teca é 0,65g/cm³ e, apesar de ser leve, apresenta boa resistência a peso, tração e flexão, semelhante ao mogno brasileiro.

A madeira é estável; praticamente não empena e se contrai muito pouco durante a secagem. A estabilidade permite que a teca (madeira) resista à variação de umidade no ambiente.

A durabilidade é uma característica marcante dessa espécie. Até o momento são poucos os registros, nos países onde a teca é cultivada, de ataques de pragas que possam comprometer os plantios. A durabilidade do cerne deve-se a tectoquinona, um preservativo natural contido nas células da madeira.

O alburno é um material permeável, propriedade que facilita a aplicação de preservativos. Porém, esse tratamento somente é necessário quando a madeira ficar exposta ao tempo; ademais, o alburno possui todas as outras qualidades do cerne.

Tanto alburno, quanto cerne contém uma substância semelhante a um látex, denominado caucho, que reduz a absorção de água e lubrifica as superfícies. Essa substância também confere resistência a ácidos e protege pregos e parafusos da corrosão.

Nos países onde a teca é explorada – de floresta nativa ou reflorestamento toda a madeira é aproveitada, incluindo as toras de pequeno diâmetro obtida nos desbastes. Painéis de sarrafos são utilizados para a fabricação de móveis, portas, decoração interna e também na produção dos mais diversos utensílios. A madeira de pequeno diâmetro é largamente usada na edificação de construções rústicas, como vigamento, esteio ou madeiramento do telhado.

 

 

Porque Contratar Uma Empresa Com Selo Verde

O QUE É SELO VERDE

 O selo verde pode ser reconhecido internacionalmente pelos consumidores de madeira e produtores derivados, como móveis e estruturas para a construção civil. Desta forma o comprador pode ter certeza que adquiriu um produto que não agride as florestas tropicais.

O Selo verde surgiu a partir da crescente preocupaçã
o ambiental dos consumidores, principalmente do mercado europeu. Foi quando governos e organizações não governamentais (ONGs) de vários países formularam um conjunto de normas para regular o comércio de produtos provenientes das florestas tropicais através de acordos internacionais. Ficou definido que as madeireiras que possuem o selo verde deveriam comercializar apenas produtos retirados das florestas de forma ambientalmente correta e enquadrados em um plano de manejo certificado por organismos internacionalmente reconhecidos.

A Empresa Casa de Madeira Brasil Posui O Selo Verde

Motivos Para Construir Uma Casa de Madeira

Casas de madeira de reflorestamento são uma alternativa mais ecológica e econômica, do que casas feitas de tijolo tradicional e concreto. A madeira de reflorestamento não é só uma parte da natureza, mas a sua utilização é benéfica para o ambiente. Estas casas são feitas de materiais naturais, não derivados do petróleo que são recicláveis e biodegradáveis, logo são consideradas ecológicas.

 

A madeira utilizada na construção dessas casas é certificada e originadas de exploração madeireira responsável: onde os fabricantes plantam novas árvores para cada árvore que caiu. Para eles, a manutenção desse equilíbrio é importante.

Há razões muito boas para escolher a construção de uma casa com madeira, vejam quais são:

– Ecologia e Sustentabilidade
A madeira é ecológica e sustentável, ou seja, é um material de construção verdadeiramente renovável. Sua sustentabilidade é insuperável. A madeira é usada pela maioria dos principais países que libera o uso de madeira e construção, e ainda espalham uma política de reflorestamento, a cada árvore retirada para uso de madeira é plantada uma nova árvore, assim tem mais madeira para fornecimento.

– Eficiências Energéticas
Madeira contribui para minimizar o consumo de energia em diversas formas. Em termos de energia incorporada, inclui a energia necessária para extrair, realizar o processo, a fabricação, o transporte, construção e manutenção de um material ou produto. Estudos avaliam que ciclo de vida da lenha supera significativamente o aço e o concreto.A estrutura celular da madeira contém bolsas de ar, o que limita a sua capacidade para conduzir calor e ajuda a minimizar a energia necessária para o aquecimento e arrefecimento.

Veja também: Como encaixar as paredes das casas de madeira.

– Reduções de CO2
Casas de madeira reduzem CO2 de várias maneiras. A madeira é um material de construção com um saldo positivo de CO2 e requer menos energia primária durante a compilação. Madeira usa energia solar para crescer e armazena grandes quantidades de dióxido de carbono durante a fotossíntese. Um metro cúbico de madeira afasta em torno de uma tonelada de gases do efeito estufa prejudicial. Pelo menos outra tonelada é salva pelo uso da madeira em vez de outro material de construção.

– Proporciona bem-estar
Viver e trabalhar em um prédio de madeira significa estar em um ambiente agradável e saudável. A madeira é difusível e higroscópico. Ela filtra o ar e, portanto, proporciona um clima fresco e saudável em um prédio, além de ter propriedade de umidade que têm efeitos positivos sobre as condições atmosféricas de um lugar. A madeira cheira bem e, portanto, tem um efeito positivo sobre o nosso bem-estar, afetando positivamente todos os sentidos.

– Não limita design e tamanho
Considerando que a relação entre as pessoas, materiais e o meio ambiente é de extrema importância na construção de uma casa. Usar a madeira como principal material de construção é a escolha certa com suas infinitas possibilidades de design, bem como propriedades físicas e técnicas incomparáveis.
Veja também:
Construção em madeira proporciona grandes benefícios, principalmente quando combinado com um planejamento inteligente, de alta precisão e construção bem monitorada e execução de elevada qualidade.

Solicite um Orçamento !!

CLIQUE AQUI